Páginas

29 de junho de 2004

O giz


Saía o advogado do escritório, no seu carro, quando encontrou a sua secretária, à chuva, na paragem do autocarro.
Ele parou e perguntou:
- Quer uma boleia?
- Claro... - respondeu ela, entrando no carro.
Ao chegarem ao edifício onde ela mora, ele parou o carro e ela convidou-o para entrar.
- Não quer tomar um cafezinho, um whisky, ou outra coisa?
- Não, obrigado, tenho que ir para casa...
- Vá lá, o doutor foi tão gentil comigo. Suba um pouquinho...
Ele aceitou e subiu.
No apartamento, ele tomava o seu whisky quando ela foi ao quarto e voltou, em roupa interior e muito sensual. Quem poderia aguentar? Ele não. Algumas horas de sexo depois, ele acabou por adormecer.
Por volta das 4 da madrugada, ele acordou e olhou para o relógio. Grande susto!...
Pensou um pouco e disse:
- Empreste-me um pedaço de giz....
Colocou esse pedaço de giz atrás da orelha e foi para casa. Ao chegar, a mulher estava louca de raiva e ele começou a contar:
- Quando saí do trabalho dei boleia à minha secretária.
Depois de chegar a casa dela, ofereceu-me um whisky. Em seguida, foi para o quarto.
Voltou para a sala com uma lingerie lindíssima e após vários copos acabámos na cama e fizemos amor. Adormeci e acordei agora há pouco...
A mulher gritou-lhe:
- Seu mentiroso! Desavergonhado! Estiveste no bar a jogar "snooker" com os teus amigos. Nem sabes mentir! Até esqueceste o giz aí atrás da orelha...

Sem comentários: